RSS

Cinema em miniatura na arte de Murat Palta

Em 2010, o estudante de Istambul Murat Palta fez a experiência abaixo, misturando arte tradicional otomana com cinema contemporâneo ocidental.

star-wars-by-murat-palta

A resposta foi positiva e Murat Palta decidiu levar o projeto adiante, recriando para sua tese de graduação mais cenas de filmes famosos. Ele diz que combinar temas globais e locais, tradicionais e contemporâneos, aliado a um toque de humor, tornou a experiência divertida e gratificante. De acordo com as avaliações que recebeu, a opinião de seus professores foi a mesma. O que você acha?

alien-by-murat-palta

Alien

alien-by-murat-palta 2alien-by-murat-palta 3

Laranja Mecânica

Laranja Mecânica

clockwork orange by Murat Palta 2

clockwork orange by Murat Palta 3

O Poderoso Chefão

O Poderoso Chefão

godfather-by-murat-palta 2godfather-by-murat-palta 5

Kill_Bill by Murat Palta

Kill Bill

Kill_Bill by Murat Palta 2Kill_Bill by Murat Palta 3

terminator-by-murat-palta

O Exterminador do Futuro II

terminator-by-murat-palta 2terminator-by-murat-palta 3

pulp-fiction by murat palta

Pulp Fiction

pulp-fiction by murat palta 2pulp-fiction by murat palta 3

goodfellas-by-murat-palta

Os Bons Companheiros

goodfellas-by-murat-palta 2goodfellas-by-murat-palta 3

scarface-by-murat-palta

Scarface

scarface-by-murat-palta 2

scarface-by-murat-palta 3

Could someone from Turkey translate this, please?
I bet it’s “The World Is Yours”

inception-by-murat-palta

Inception – A Origem

inception-by-murat-palta 2

inception-by-murat-palta 4

the-shining-by-murat-palta

O Iluminado

the-shining-by-murat-palta 2

the-shining-by-murat-palta 3the-shining-by-murat-palta 4the-shining-by-murat-palta 5

http://www.behance.net/muratpalta

http://www.facebook.com/muratpaltaofficial

 
Deixe um comentário

Publicado por em 25 de janeiro de 2013 em Arte

 

Tags: , , , , , , , , , , , ,

Trailer de S-VHS

 

Para quem gostou de V/H/S, vem aí uma nova coletânea. S-VHS (pelo menos o nome não é V/H/S 2) terá mais câmeras epilépticas e diretores pouco conhecidos do público brasileiro, como Gareth Evans (The Raid) & Timo Tjahjanto (Macabre), Eduardo Sanchez (A Bruxa de Blair, Lovely Molly) & Gregg Hale, Jason Eisener (Hobo With A Shotgun), Adam Wingard (You’re Next, A Horrible Way To Die) e Simon Barrett, que vai estrear como diretor neste filme.

O primeiro filme mostrava um grupo de estudantes que invadia uma casa abandonada para tentar recuperar uma fita VHS perdida, e ao vasculharem a casa, cada fita encontrada trazia uma história dirigida por um cineasta diferente. O resultado foi irregular e dividiu opiniões, mas abriu caminho para um novo projeto, desta vez contando a história de uma dupla de investigadores que encontram uma fita VHS enquanto procuram por um estudante.

A estreia de S-VHS será no festival de Sundance no dia 19 de janeiro de 2013.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 18 de janeiro de 2013 em Trailers

 

Tags:

Django Unchained soundtrack

artworks-000035174884-4n31rx-original

01 – James Russo – Winged
02 – Luis Bacalov and Rocky Roberts – Django
03 – Ennio Morricone – The Braying Mule
04 – Christoph Waltz and Jamie Foxx – “In that Case Django, After You…”
05 – Luis Bacalov and Edda Dell’Orso – Lo Chiamavano King (His Name Is King)
06 – Anthony Hamilton and Elayna Boynton – Freedom
07 – Don Johnson and Christoph Waltz – Five-Thousand-Dollar *****’s And Gummy Mouth Bitches
08 – Luis Bacalov – La Corsa (2nd Version)
09 – Don Straud – Sneaky Schultz and the Demise of Sharp
10 – Jim Croce – I Got a Name
11 – Riziero Ortolani – I Giorni Dell’ira
12 – Rick Ross – 100 Black Coffins
13 – Jerry Goldsmith feat. Pat Metheny – Nicaragua
14 – Samuel L. Jackson, Leonardo DiCaprio and Christoph Waltz – Hildi’s Hot Box
15 – Ennio Morricone – Sister Sara’s Theme
16 – Elisa Toffoli – Ancora Qui
17 – James Brown and 2Pac – Unchained (The Payback / Untouchable)
18 – John Legend – Who Did That to You?
19 – Brother Dege (aka Dege Legg) – Too Old to Die Young
20 – Samuel L. Jackson and Jamie Foxx – Stephen the Poker Player
21 – Ennio Morricone – Un Monumento
22 – Samuel L. Jackson and Jamie Foxx – Six Shots Two Guns
23 – Annibale E I Cantori Moderni – Trinity (Titoli)
24 – RZA – Ode To Django (The D Is Silent) [Bonus]

MP3 320 Kbps + digital booklet:

http://www.mediafire.com/?sz2d9zwwvvr98ib

 
Deixe um comentário

Publicado por em 9 de janeiro de 2013 em Downloads, Trilhas Sonoras

 

Tags: ,

Decifrando o filme-enigma do momento

Imagem

Não se vê todo dia um Holy Motors, novo filme de Leos Carax depois de Pola X (1999). Ou todo ano, pra ser sincero. Filmes sem começo, meio e fim convencionais assustam o público acostumado com blockbusters de Hollywood cuja história está totalmente contida no roteiro, sem deixar margem para interpretações. Atualmente, quem tem tempo para perder tentando pensar no que o filme quis dizer? É comum ver alguém dizendo que para gostar de certos filmes é preciso antes desligar o cérebro. Com um roteiro alegórico em vez de óbvio, Holy Motors segue na contramão do cinema-pipoca, e a recompensa para os que se dispuserem a assisti-lo com o cérebro ligado não é pequena.

HM01

Resumo maçante do filme: Um dia na vida de um ator (Denis Lavant) interpretando no mínimo onze papéis diferentes, de uma mendiga idosa a um assassino, de um pai de família a um gnomo alucinado.

HM02

Por que ele faz isso? Onde está a plateia? E as câmeras? O filme não dá respostas definitivas, apenas as sugere através dos diálogos dos personagens. O diretor Leos Carax odeia dar entrevistas, e nas poucas que achei, não esclareceu muita coisa. O início do filme mostra o próprio Carax despertando num quarto com uma floresta pintada na parede. Uma referência, segundo o diretor, às primeiras linhas da Divina Comédia, de Dante Alighieri: “No meio da jornada da vida, eu me encontro numa floresta escura, longe do caminho certo”.

HM04

Seu dedo médio transforma-se numa chave, que abre uma porta oculta e leva a um cinema onde toda a plateia está adormecida, crítica não muito sutil à passividade dos espectadores atuais. Leos Carax parece sugerir que um novo tipo de cinema é necessário para o público sair da letargia. Nesse ponto a história muda o foco para Oscar, o personagem de Denis Lavant, colaborador frequente de Carax e ex-dançarino, ex-acrobata, ex-mímico (informação pertinente para acreditarmos que a invejável cena da captura de movimentos foi feita sem dublês).

HM06

Oscar deixa sua mansão pela manhã, despedindo-se de sua filha numa cena que seria singela se não fosse pela presença dos guardas armados. Ele entra numa limusine-camarim, guiada por Céline (Édith Scob, de Os Olhos Sem Rosto, clássico do horror francês), onde se prepara para os diversos “compromissos”. Com perucas, maquiagem e roupas diferentes, Denis Lavant entrega-se ao papel como poucos seriam capazes. Nas próximas duas horas, ele será o Sr. Oscar, uma velha mendiga, um ator de captura de movimentos (numa cena que evoca Chaplin em “Tempos Modernos”), um banqueiro, o Sr. Merde, um pai, um acordeonista, um assassino, uma vítima, um tio moribundo (cena que daria um Oscar para qualquer ator) e um marido voltando para sua família depois de um dia de trabalho.

HM06b

Hollywood adora atores que ganham ou perdem peso, interpretam gente morta, ou se enfeiam para o papel, por isso acho que será uma surpresa se Lavant ganhar o prêmio de melhor ator, por mergulhar tão completamente num personagem complexo, mas fictício. Ainda mais num filme que não é falado em inglês e critica tão duramente o modelo de cinema atual, não deixando de lado nem os downloads (“os humanos não querem mais máquinas visíveis”).

HM07

Beirando as duas horas de duração, o filme não se torna cansativo justamente por ser episódico, onde cada segmento, mesmo sem ligação alguma com o anterior, traz suficiente conteúdo emocional para o espectador se identificar. A comovente cena abaixo, com a belíssima atriz Élise Lhomeau, transmite uma tristeza tão grande, e de forma tão eficaz, que o final dela é incrivelmente desconcertante.

HM15

Fica evidente depois de algum tempo que a intenção do filme é ser uma alegoria sobre o estado atual do cinema e o papel da identidade num mundo onde cada um de nós pode ser outra pessoa, dependendo da rede social em que estamos ou com quem interagimos. Ter múltipla personalidade é tão fácil e rápido quanto criar um novo login e senha. O cinema costumava ser o lugar onde as pessoas podiam viver outras vidas, ser alguém diferente, com uma vida mais emocionante. Hoje, com games onde o jogador assume um papel e cria o personagem da forma que quiser, apenas sentar diante de uma tela enquanto assiste-se ao filme já não parece tão atrativo.

HM10

A cena onde a questão da identidade é tratada de forma mais contundente é quando Oscar mata um tal de Alex, também interpretado por Denis Lavant. Depois de esfaquear Alex no pescoço, Oscar começa a raspar sua cabeça e barba, de forma que ambos tornam-se idênticos. Mas Alex consegue pegar a faca de Oscar e acerta-o no pescoço. Na próxima cena, um deles é mostrado cambaleando de volta à limusine branca. Qual deles sobreviveu? Não há como saber. E será que faz diferença?

HM17

A cena ganha mais simbolismo quando descobrimos que Denis Lavant atuou em todos os filmes anteriores de Leos Carax, e em todos eles seu personagem chamava-se Alex. O verdadeiro nome de Leos Carax é Alexandre Oscar Dupont. Alex está morto. Vida longa a Oscar.

HM19

Os únicos outros filmes de Leos Carax que assisti foram Os Amantes de Pont-Neuf e Mauvais Sang, em alguma sessão da TV Cultura, anos atrás. Mas parece que Holy Motors traz algumas referências a esses e outros filmes anteriores de Carax, além de Cocteau, Buñuel e Godard. A loja de departamentos La Samaritaine, por exemplo, cenário de uma das cenas mais intensas do filme (graças, em boa parte, à interpretação de Kylie Minogue), aparecia muito em Os Amantes de Pont-Neuf. Michel Piccoli, famoso ator francês que já trabalhou com grandes diretores como Jean Renoir e Alfred Hitchcock, aparece aqui carregado de maquiagem grotesca, como em Mauvais Sang.

O personagem “Merde”, que sequestra a impassível Eva Mendes como se fosse um King Kong anão, veio do segmento dirigido por Leos Carax do filme Tokyo. No final do filme, Édith Scob coloca a mesma máscara que usou por toda a duração de Os Olhos Sem Rosto, em 1960 (o nome de Georges Franju, diretor de Os Olhos Sem Rosto, aparece nos créditos finais, durante os agradecimentos). Édith Scob já havia trabalhado com Leos Carax em Os Amantes de Pont-Neuf, mas depois da edição final, tudo o que restou dela no filme foram as mãos e cabelos, portanto Carax diz que lhe devia um papel de verdade, e ela tornou-se a fada-madrinha do filme. E a filha do próprio Carax atua em Holy Motors.

HM21

Depois do arrepiante final, é impossível não achar simplória demais a fórmula de filmes consagrada por Hollywood. História em três atos? Bah. Atores principais que parecem modelos? Eca. Mensagem edificante no final? Blergh.

HM20

Resta-nos esperar que Leos Carax não demore 13 anos de novo para lançar seu próximo filme. Ele diz que gostaria de fazer um filme de super-heróis, não necessariamente americanos. Afirma ter gostado de Chronicle (Poder Sem Limites no Brasil) porque “depois que os garotos ganham os poderes, eles ficam voando por um bom tempo. Nos filmes do Homem-Aranha, ele só aparece se balançando por uns três segundos”.

 
2 Comentários

Publicado por em 8 de janeiro de 2013 em Resenhas

 

Tags: , , , , ,

Blog em recesso

 
2 Comentários

Publicado por em 7 de novembro de 2012 em Uncategorized

 

Happy Halloween

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 31 de outubro de 2012 em Imagens

 

Tags:

Filmes no radar: American Mary

Segundo filme das gêmeas diretoras Jen e Sylvia Soska (depois de Dead Hooker in a Trunk), American Mary conta a história de Mary Mason, estudante de medicina que torna-se cada vez mais falida e desiludida com a profissão até se envolver com o dinheiro fácil do submundo das cirurgias clandestinas e da body modification, aquela subcultura onde a obsessão dos adeptos por modificar cada vez mais o corpo os faz pagar qualquer quantia para levar a cabo procedimentos cirúrgicos extremos. Mas Mary logo descobre que sua nova “profissão” vai deixar mais marcas em sua mente do que nos corpos de sua bizarra clientela. Segundo as diretoras, o filme é uma metáfora de sua carreira.

Previsão de lançamento no Brasil: esqueça!

 
5 Comentários

Publicado por em 30 de outubro de 2012 em Radar

 

Tags: , , ,

 
Coluna de Música

Alto e bom som, em todos os formatos.

Renzo Mora

Cultura Pop e Banalidades em Geral.

Naughty, butt nice

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

waistlowpleasure

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

MONDO 70: A Wild World of Cinema

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Where Beauty & Terror Dance

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Reverend Phantom

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Horror Nerd

Just another WordPress.com site

Fascination With Fear

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

DOCTERROR.COM

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Final Girl

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Full Moon Reviews - Horror, Sci-Fi, Action, B-Movies

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Hammer and Beyond

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

42nd Street Cinema

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Taliesin meets the vampires

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

SICKO-PSYCHOTIC

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

The Moon is a Dead World

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Filmes do Umbral

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

cinema poeira

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

O Euro Western no Brasil

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Medo de quê? - O horror no cinema brasileiro

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

My Duck Is Dead

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Dare, Rave and Tease Cinema

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Italian Film Review

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

New Frontiersnerd

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Du dumme Sau - a Kinski Blog

The films of Klaus Kinski

Horror for the Discriminating Aficionado

Twenty Four Frames

Notes on Film by John Greco

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

The Mad Movie Guy Blog

A difícil vida de um cinéfilo em Londres

DIÁRIO DE UM CINÉFILO

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

FANGORIA®

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Estranho Encontro

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Nudo e Selvaggio

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Killing in Style.

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

giallo fever

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Mondo Macabro DVD

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Todo homem tem o direito de ser imbecil por conta própria. (Ivan Lessa)

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: